30 de ago de 2014

(Falando de Séries) Penny Dreadful

Oi pessoal! Ando bem sumida eu sei, minhas leituras andam bem devagar considerando que ando trabalhando demais e com alguns estresses, então pra não deixar nada abandonado, hoje vim falar de séries:

Penny Dreadful.


Depois da 4ª temporada de  The Walking Dead acabar, estava órfã, digamos, de séries. Andei até assistindo Teen Wolf, mas não era aquela paixão, é uma série ok.

Nesse meio tempo, muita gente falava da tal Penny Dreadful que eu até então sabia por alto que era uma série de terror. E me surpreendi quando resolvi dar a devida chance, mais que terror e fantasia, Penny Dreadful fala muito de nossos medos interiores e segredos. Quem não tem segredos?

A série se passa numa Londres vitoriana (minha primeira simpatia, porque lembrei da trilogia "The Infernal Devices") que  mescla personagens de livros clássicos como Frankestein, Conde Drácula, O Retrato de Dorian Gray com suas respectivas histórias dos livros com o enredo da série.
Na série, Sir Malcolm Murray (Timothy Dalton) perde sua filha Mina para uma entidade que até então, nem ele entende o que é, junto com a médium Vanessa Ives (Eva Green), com o misterioso Ethan Chandler (Josh Hartnett) e Victor Frankestein (Harry Treadaway) eles mergulham num mundo oculto com criaturas bizarras, acontecimentos sobrenaturais atrás de Mina. O problema é quando descobrem que o "demônio" está atrás de Vanessa.


O elenco conta com nada mais e nada menos que Josh Hartnett (As virgens suicidas, 30 dias de noite) e a lindíssima e talentosíssima Eva Green (Os sonhadores, James Bond: Casino Royale) que dá um banho de atuação principalmente nas cenas de possessão demoníaca e conta com a produção de Sam Mendes.
A série não é pra todo mundo: muito sangue, muita violência, cenas de nudez e sexo, junto com cenas de possessão da personagem Vanessa Ives (Eva Green) que me fez arrepiar os cabelos (confesso que tenho um medinho de assistir a noite, quem nunca?)


- Antes que eu me esqueça, a atuação do ator Rory Kinnear como A criatura é outro banho de interpretação total de uma criatura largada á um mundo cruel e com um  coração solitário -
"Rise and Walk with me, creator" ;)






Ah, outra coisa que adoro na série além de todo esse ar "gótico/sobrenatural/leia clássicos do terror" é a trilha sonora de autoria de Abel Korzeniowski e a abertura, que olha, um show de fotografia!





Bem, se você curte clássicos do terror, adora uma cena de possessão demoníaca, ama uma Londres vitoriana e adora um banho de sangue, essa série é pra você! :)








Um comentário:

  1. Que interessante! Não gosto de terror, não sei. Drama é bem pior de uma certa forma, até porque, terror você está esperando se assustar, no drama não, ele vem e cabum! Assusta você. Mas por que diabos eu estou falando disso?

    Enfim, não gosto de terror, mas foi uma ótima sugestão mesmo assim.

    The Lord of Thrones

    ResponderExcluir